O homem mais miserável

O homem mais miserável, mesmo que julgue não mais amar, conserva ainda o poder de amar.
(Georges Bernanos)