Era tremendamente feliz

Era tremendamente feliz porque sentia que tinha uma dívida eterna, que nunca poderia pagar, e, no entanto, esforçava-se por pagá-la.
(Chesterton)