Depois da última árvore sem frutos

Depois da última árvore sem frutos e do último rio envenenado, o homem perceberá que o dinheiro não se come.
(Autor desconhecido)